Presidente da Câmara do Funchal diz que não percebe de árvores

Paulo Cafôfo foi constituído arguido no caso da queda da árvore durante uma procissão religiosa que vitimou 13 pessoas e feriu outras 50. O Expresso teve acesso ao depoimento do autarca, onde confessa não entender de árvores e não saber tudo o que se passa na autarquia.

O presidente da Câmara do Funchal alegou que o conhecimento técnico sobre as árvores é muito especializado e como tal é um assunto que não domina e acrescentou ainda que, numa autarquia com a dimensão do Funchal, não está a par de tudo o que acontece.

Foi com este argumento que Paulo Cafôfo disse também não saber quem introduziu no site da autarquia a informação de que o Largo da Fonte, onde ocorreu o acidente, é municipal. Uma das polémicas na altura foi sobre quem geria o local do acidente, com a paróquia e a autarquia a “empurrarem” o assunto.

Na altura do acidente, a autarquia do Funchal quis fazer as suas peritagens à árvore que caiu, mas a Policia Judiciária vedou o local e assegurou a peritagem do sitio do acidente, evitando assim a interferência de outras entidades externas.

Descomplicador:

Paulo Cafôfo, presidente da Câmara do Funchal, disse num depoimento sobre a queda da árvore que vitimou 13 pessoas que esse tipo de conhecimento é muito especifico e que pessoalmente não percebe do assunto, alegando ainda que não está a par de tudo o que acontece na autarquia.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *