Marinho e Pinto diz estar a chegar “ao fim do prazo de validade”

O eurodeputado António Marinho e Pinto deu ontem uma entrevista ao jornal Público onde admite que a sua vida público pode estar a chegar ao fim com o aproximar das eleições europeias, que decorrem em 2019.

“Em política os prazos devem ser limitados. E além disso há também um limite natural para as pessoas. Eu sempre gostei da vida. E, quer como bastonário quer como deputado, tenho renunciado a muitas das dimensões da vida, das realizações pessoais que fariam a minha felicidade. Estou no meu limite, somos como os iogurtes, temos também um prazo de validade. E penso que o meu prazo está a chegar ao fim”, disse Marinho e Pinto em entrevista ao Público.

O eurodeputado, que conseguiu a eleição pelo Movimento Partido da Terra e depois fundou o Partido Democrático Repúblicano, acrescentou ainda que, “como presidente de um partido – do Partido Democrático Republicano – tenho responsabilidades para com as pessoas que aderiram, motivados pela minha forma de actuar. Devo falar com eles”.

Marinho e Pinto falou da sua “relação frustrada” com o eleitorado nacional, sobretudo depois das suas declarações acerca do vencimento dos eurodeputados, bem como sobre os poderes limitados do Parlamento Europeu.

Descomplicador:

Marinho e Pinto disse em entrevista ao jornal Público que os politicos são como “os iogurtes, temos também um prazo de validade. E penso que o meu prazo está a chegar ao fim”, falando da sua relação frustrada com o eleitorado português.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *