Quercus diz que remoção de espuma é “operação estética”

Seis camiões cisterna estão a remover a espuma do Rio Tejo, que se encontra com demasiada poluição, mas a Quercus diz que a operação não resolve nada e é meramente “estética”. O Ministro do Ambiente garante que o executivo está a procurar resolver o problema.

“Esta remoção da espuma em Abrantes é uma operação mais estética, sendo certo que, se o Tejo não tiver uma tão grande acumulação de espuma, aparentemente, o rio fica com melhor imagem”, disse Domingos Patacho à Agência Lusa, adiantando que esta solução “não resolve o problema da poluição”.

Para o responsável da região da associação ambiental Quercus, “o problema da poluição no rio persiste e tem de se resolver a montante, junto das fontes de poluição, nomeadamente junto do complexo industrial de Vila Velha de Rodão”, onde se encontram várias indústrias de celulose.

12 homens com seis camiões “hidrolimpadores” estão a efectuar a limpeza da espuma e a encaminhar a água para a Estação de Tratamento de Águas Residuais da região, onde serão “depositadas em leitos de secagem para desidratação, oxigenação e anulação”.

Descomplicador:

Seis camiões cisterna estão a limpar a espuma do Rio Tejo, numa operação que a Quercus diz ser “estética” e que não corrige o problema da poluição no rio, que deve ser resolvido junto das indústrias em Vila Velha de Ródão.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *