Violência doméstica pode ditar saída de chefe de gabinete de Trump

John Kelly entrou para a Casa Branca no final de Julho de 2017 com o objectivo de colocar o gabinete de Donald Trump em ordem, como Chefe de Gabinete. No entanto, duas demissões de assistentes ligados a violência doméstica podem também ditar a saída de Kelly.

 

Segundo o The New York Times, John Kelly já terá confidenciado que está a colocar a hipótese de se demitir, depois de ter vindo a público defender Rob Porter, um assistente que se demitiu no seguimento de acusações relacionadas com violência doméstica.

Ainda assim, Kellyanne Conway, conselheira da Casa Branca, disse à estação ABC que o presidente norte-americano não está à procura de substituto para John Kelly e reforçou a confiança no seu actual Chefe de Gabinete.

John Kelly entrou em defesa de Rob Porter estando já ao corrente das acusações e estando até a par de que o seu assistente não conseguia obter uma credencial de segurança mais elevada devido a estas acusações por parte das suas duas ex-mulheres.

Descomplicador:

O Chefe de Gabinete de Donald Trump, John Kelly, pode estar de saída por ter defendido um assistente seu que está acusado de violência doméstica. Kelly defendeu-o publicamente mesmo sabendo das acusações e estando a par que tais acusações é que o impediam de ter um nível de segurança mais elevado.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *