Congresso PSD: Uma sala cheia para dizer até breve a Passos Coelho e Olá a Rui Rio

O Centro de Congressos de Lisboa tinha poucas cadeiras vagas para assistir à noite de abertura do Congresso do Partido Social Democrata. Entre delegados e observadores/convidados, a lotação foi toda preenchida, com pessoas a ficarem ainda de pé para assistir à despedida de Pedro Passos Coelho e para “entronizar” Rui Rio.

O primeiro e longo aplauso da noite ouviu-se quando Pedro Passos Coelho entrou na sala onde iam decorrer os trabalhos. Foram várias as vezes que o gesto de repetição, durante os abraços, os apertos de mão, o discurso e a saída do líder cessante.

Na sua intervenção, Passos Coelho disse ser um “soldado” ao serviço da unidade do partido e alertou que “não é fácil combater a geringonça, embora seja preciso bater a geringonça”. O líder cessante fez oposição quase até ao fim, onde procurou desmontar os números do crescimento económico.

Pedro Passos Coelho deixou ainda fortes elogios à candidatura de Pedro Santana Lopes, que incorporou vários dos seus apoiantes ao longo dos últimos oito anos e debaixo de um forte aplauso deixou o palanque, onde se sentou ao lado de Rui Rio e de Pedro Santana Lopes, para no fim do discurso de Rui Rio, deixar o Centro de Congressos de Lisboa.

Rio e Santana entram juntos. Novo líder afasta Bloco Central

Rui Rio subiu ao púlpito depois do presidente cessante, para a mudança simbólica de pasta. O novo líder social-democrata valorizou também o empenho de Pedro Santana Lopes, quando o acordo atravessa horas de indecisão e afastou a ideia do Bloco Central.

“Discutir essa ideia [Bloco Central] é discutir o sexo dos anjos”, disse Rui Rio aos militantes que lotaram o Centro de Congressos de Lisboa.

O novo presidente social-democrata voltou a abordar temas como a ética na politica, a modernização interna do partido e a mobilização para os próximos actos eleitorais, dando destaque às eleições autárquicas de 2021, onde pretende que o PSD recupere a sua implantação autárquica, perdida em 2013 e em 2017.

O segundo dia do Congresso do PSD começou pelas 11h, com uma hora de atraso e vai decorrer ao longo de todo o dia, e possivelmente uma grande parte da noite, tal como tem sido “tradição” nos últimos anos. As listas para os órgãos nacionais serão conhecidas até ao final da tarde.

Descomplicador:

Pedro Passos Coelho despediu-se ontem dos militantes sociais-democratas, num Congresso que o recebeu sem lugares vagos e com fortes e longos aplausos. Rui Rio afastou a ideia de um Bloco Central na primeira intervenção.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *