Santos Silva chama embaixador na Rússia a Portugal

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, chamou a Portugal o embaixador na Rússia, Paulo Vizeu Pinheiro, por forma a analisar as medidas diplomáticas a adotar com o país de Putin. Recorde-se que dezenas de países aliados expulsaram diplomatas russos dos seus países, numa operação sem precedentes desde há várias décadas.

Em entrevista à SIC Noticias, Santos Silva salientou o carácter de “prudência” dado pelo governo português a esta matéria e ressalvando que Portugal apoiou as decisões, quer da NATO quer da União Europeia, no que toca à relação com a Rússia.

Ainda assim, Santos Silva salvaguarda que, “este é um processo dinâmico que queremos gerir com prudência, no sentido de deixarmos claro à Federação Russa o que nós não aceitamos mas, como bem disse hoje o secretário-geral da NATO, é preciso manter o diálogo político”.

Apesar de não excluir nenhum cenário, Santos Silva prefere uma postura de maior prudência, não tendo Portugal integrado o lote inicial de países a expulsar diplomatas oriundos daquele país. Quem apoia esta postura é o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que considera que a chamada do embaixador é um “aviso” e uma “decisão forte”.

Para o Chefe de Estado, “a chamada do embaixador de Portugal em Moscovo para consultas a Lisboa, como se sabe, significa que durante um período, mais ou menos curto, mais ou menos longo, a presença do mais alto representante diplomático português num país deixa de existir”, sendo assim particularmente relevante.

Já no Parlamento, a Secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias disse que “nós [Portugal] temos três diplomatas em Moscovo. Se expulsamos diplomatas ficamos sem ninguém lá”, justificando-se assim com os “aspectos pragmáticos”, em resposta à crítica da deputada do PSD, Rubina Berardo, que defendeu que, Portugal “não pode estar com o Reino Unido nos dias de sol, e nos dias de chuva abandonar e deixar o apoio pelo caminho”.

Descomplicador:

Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios Estrangeiros, chamou a Portugal o embaixador na Rússia, não querendo para já tomar a decisão de expulsar diplomatas russos, à semelhança de dezenas de países aliados. Apesar de concordar com as deciões da NATO e da UE, Santos Silva diz que Portugal escolheu a vida da “prudência”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *