Greves adiam 18 mil cirurgias

As greves no sector da saúde vão provocar perto de 18 mil adiamentos de cirurgias, um pouco por todo o país. Só este mês estão previstas seis greves e cada uma representa três mil adiamentos de actos cirúrgicos, segundo contas da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares.

Entre médicos e profissionais de saúde, os dias de greve previstos para este mês vão representar perto de 18 mil adiamentos, segundo contas feitas pelo Diário de Noticias, com estimativas do sector. Este é um número pouco usual de greves no sector hospitalar.

Ainda segundo o DN, uma grande parte destas cirurgias não serão compensadas este ano, por falta de capacidade de resposta, alongando assim o problema. Estes adiamentos vão provocar, inevitavelmente, um aumento das listas de espera.

Alexandre Lourenço, da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, explica ainda que, “estamos num período de maiores dificuldades nos hospitais, com muitos feriados a meio da semana, com pontes, a que se juntam restrições na contratação de profissionais. Não sendo realizada agora, alguma desta actividade programada não será recuperada este ano”.

Descomplicador:

As greves no sector da saúde só este mês vão totalizar seis dias de interrupção. Por cada dia de greve, o sector estima que tenham que ser adiadas três mil cirurgias e muitas delas não vão poder ser compensadas este ano.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *