Portugal não marcou presença na inauguração da embaixada norte-americana em Jerusalém

Portugal foi um dos vários países que boicotou a inauguração da embaixada dos Estados Unidos da América em Jerusalém, Israel, e que tem estado a gerar ao longo do dia violentos confrontos, provocando já largas dezenas de mortes.

A posição assumida por Portugal vai ao encontro da postura da maior parte dos países da União Europeia, que optaram por faltar à inauguração da embaixada norte-americana. A República Checa, Roménia, Áustria e Hungria são dos poucos países a ter marcado presença na inauguração, entre o lote de países europeus.

Donald Trump enviou um vídeo para assinalar a mudança da embaixada de Telaviv para Jerusalém e fez-se representar pela sua filha, Ivanka Trump e pelo seu genro e assessor presidencial, Jared Kushner.

A inauguração da embaixada provocou já o dia mais sangrento na Palestina desde 2014, com 52 mortes confirmadas até ao momento e 1200 feridos. Este é o dia com mais baixas desde a guerra de Gaza, em 2014, com vários palestinianos a aproximarem-se das barreiras de segurança, fortemente vigiadas por soldados israelitas.

Descomplicador:

Portugal foi um dos vários países da União Europeia que faltou à inauguração da embaixada norte-americana em Jerusalém. Esta inauguração provocou já o dia mais sangrento na Palestina desde 2014, com 52 mortes confirmadas e mais de 1200 feridos.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *