Ministro Adjunto não esclareceu registo de interesses no Parlamento

O Ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, tem evitado esclarecer a declaração de interesses que entregou junto da Assembleia da República, facto que impossibilitou a publicação do registo no site do Parlamento, segundo avança o jornal Público.

O grupo de trabalho que trata do registo de interesses no Parlamento, pediu um esclarecimento a Pedro Siza Vieira a 30 de janeiro e aguarda ainda por esse esclarecimento, motivo pelo qual o documento não está publicado no site do Parlamento. Em dúvida estava o seu papel na Prática Magenta, a imobiliária que fundou um dia antes de entrar no executivo.

O registo integra os seus 50% enquanto acionista da Prática Magenta, mas o Parlamento pediu um esclarecimento sobre o seu papel na empresa. O Parlamento pediu a Siza Vieira a data em que tinha cessado funções na empresa, com o ministro a dizer apenas: “2017”, sem especificar o mês.

Devido a esta falta de esclarecimento, Pedro Siza Vieira é o único ministro que não tem o registo de interesses publicado. A fiscalização do registo de interesses dos membros do governo compete ao Tribunal Constitucional, mas apenas a pedido do Ministério Público, o que só aconteceu nos últimos dias.

Descomplicador:

O Parlamento aguarda uma clarificação do registo de interesses do Ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, sobre a data da cessação de funções na imobiliária que criou um dia antes de integrar o governo. Por esse motivo é que o documento não foi ainda disponibilizado online.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *