Rui Rio impõe austeridade dentro do PSD

Rui Rio quer “apertar o cinto” na vida interna do Partido Social Democrata. O agora presidente quer por as contas em ordem e para isso conta com o apoio do Secretário-Geral, José Silvano, uma peça essencial na coordenação das estruturas locais.

O PSD vai assim colocar em prática medidas de contenção de custos, tendo em conta o agravamento de 38% nos prejuízo durante o ano de 2017. As estruturas locais não vão poder apresentar saldos negativos e qualquer despesa não prevista tem que ser aprovada previamente pela sede nacional.

A par disso, a Festa do Pontal, a Universidade de Verão e o aniversário do partido, iniciativas com um orçamento estimado de 100 mil euros/cada, também vão ser revistas, por forma a reduzir os custos à volta destas iniciativas.

As eleições autárquicas são a principal causa dos prejuízos registados, com o PSD a pretender responsabilizar os mandatários financeiros, desresponsabilizando assim o partido a nível nacional. Esta será uma proposta do PSD para alteração à lei do financiamento partidário, segundo avança o jornal Público.

Descomplicador:

O PSD quer melhorar o seu registo financeiro depois de um ano de eleições autárquicas e quer apresentar uma medida legislativa para responsabilizar os mandatários financeiros locais, impedindo assim gastos excessivos em eleições autárquicas.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *