“Candidato das bases” derrota vice-presidente do CDS na distrital do Porto

Fernando Barbosa conquistou as polémicas eleições para a distrital do CDS do Porto, derrotando a vice-presidente nacional do partido, Cecília Meireles. Esta vitória é vista como um “cartão vermelho” das bases do partido à liderança nacional de Assunção Cristas.

O até agora vice-presidente da distrital conquistou perto de 980 votos, enquanto Cecília Meireles conquistou apenas 672, segundo avança a Agência Lusa, num distrito com 6500 militantes registados. “Em democracia pode ganhar-se o respeito mas perder-se a confiança. Este ato eleitoral mostrou o melhor que o partido tem e o pior que é capaz de fazer”, disse Fernando Barbosa, na reacção à vitória.

O agora eleito presidente da distrital do Porto acrescentou ainda que, “estas eleições mostraram também o pior, o modo de fazer política com medo. O medo de perder não se sabe bem o quê, mas que leva a tudo fazer para vencer a qualquer custo, seja qual for o real preço a pagar”, numa critica à direcção nacional do CDS.

Estas foram umas eleições com várias polémicas na fase final, em particular, com o apelo da Juventude Popular à não participação neste acto eleitoral devido a problemas com os cadernos eleitorais, onde diversos militantes, tanto da “jota como da Federação dos Trabalhadores Democratas Cristãos, não surgiam.

A Juventude Popular enviou uma missiva ao Secretário-Geral do partido, Pedro Morais Soares, a criticar o processo, tendo pedido aos seus militantes para não aceitarem integrar lista e para não votarem nestas eleições internas, ao que avançou o jornal Expresso.

Fernando Barbosa vai agora suceder a Álvaro Castello-Branco, que lidera a distrital do CDS do Porto desde 1998 e cujo mandato termina em Julho deste ano, depois de 20 anos como líder de uma das maiores estruturas do CDS.

Descomplicador:

Fernando Barbosa conquistou a distrital do CDS do Porto, frente à vice-presidente nacional do CDS, Cecília Meireles. As eleições estiveram envoltas em polémica, com a Juventude Popular a demarcar-se do acto eleitoral.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *