Universidade de Coimbra rejeita passagem a fundação

O Conselho Geral da Universidade de Coimbra decidiu ontem a não passagem a regime fundacional, concluindo assim um debate que tinha lançado em 2016. Este é o primeiro caso de uma universidade que depois de aberto o debate decide não avançar para a mudança para fundação.

A proposta foi inicialmente lançada pelo reitor, João Gabriel Silva, que dois anos depois foi o próprio a propor a não passagem ao regime fundacional. A moção apresentada pelo reitor da Universidade de Coimbra foi aprovada por unanimidade no Conselho Geral, juntando assim docentes, alunos, não docentes e personalidades externas.

“Se é para continuar a viver do Orçamento do Estado sem contratos-programa, não vamos criar uma complicação do ponto de vista administrativo e legal”, explicou o presidente do Conselho Geral, João Caraça, justificando assim a decisão.

O presidente da Associação Académica de Coimbra, Alexandre Amado, mostrou-se satisfeito pela “conquista”, ao dizer que, “nenhuma universidade que tinha iniciado esta discussão tinha acabado com esta decisão. Todas tinham optado por se transformarem em fundação. Esta decisão é uma pedrada no charco e um sinal de mudança muito importante”.

Descomplicador:

A Universidade de Coimbra rejeitou ontem a passagem ao modelo fundacional, após uma proposta apresentada pelo reitor, João Gabriel Silva, e que foi aprovada por unanimidade. Esta é a primeira instituição de ensino superior que rejeita a mudança após aberto o debate.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *