Professores querem voltar à mesa de negociação com o Ministério

Os professores querem voltar à mesa de negociações com o Ministério da Educação sobre a contabilização do tempo de serviço. Os sindicatos dizem ter dado já a indicação de que estão disponíveis para reunir “a qualquer momento”.

“Ao contrário do que o ministro diz, não tem estado presente nas últimas reuniões e o STOP apresentou, no dia 14 de junho, uma proposta muito concreta para negociar e não obteve qualquer resposta. Disponibilizámo-nos para reunir a qualquer momento, se fosse necessário, e, até hoje, não obtivemos qualquer reação”, disse André Pestana, do Sindicato de Todos os Professores.

Para além das declarações de André Pestana, a plataforma de 10 sindicatos entregou uma carta aberta ao Ministério da Educação a dar conta da disponibilidade para reunir. Os sindicatos querem discutir a contabilização do tempo de serviço, com a proposta do Ministério da Educação a não chegar aos três anos, quando os sindicatos pedem a contagem dos nove anos de serviço.

Depois de três semanas de greve às reuniões de avaliação, os professores partem agora para mais uma semana de protesto, sendo que atualmente têm imposto Serviços Mínimos, para reuniões de 9º, 11º e 12º ano, devido aos exames nacionais.

Descomplicador:

Os sindicatos querem voltar à mesa de negociação para discutir a contabilização do tempo de serviço, mas reclamam da falta de resposta do Ministério da Educação. A plataforma de 10 sindicatos entregou hoje uma carta aberta ao Ministério.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *