Dia de descanso foi dia de remodelações no executivo

Domingo é dia de descanso, mas hoje foi um dia bem agitado no governo liderado por António Costa. Numa manhã onde o rescaldo da tempestada Leslie dominava as manchetes, o Presidente da República anunciou no site oficial da Presidência a renovação de quatro ministros do executivo.

Atrás da saída do Ministro da Defesa, António Costa mudou também as pastas da saúde, da cultura e da economia, sendo que nalgumas delas, a solução foi encontrada dentro de portas.

  • Sai Azeredo, entra João Gomes Cravinho

Azeredo Lopes não resistiu ao caso de Tancos e foi o mote para a remodelação governamental. Com a saída de Azeredo Lopes, entra João Gomes Cravinho, que desempenhava ate à data a função de Embaixador da União Europeia no Brasil.

Doutorado em Ciência Política pela Universidade de Oxford, Gomes Cravinho foi Secretário de Estado da Cooperação no governo de José Sócrates, tendo feito os dois mandatos do anterior Primeiro-Ministro.

  • Sai Adalberto Fernandes, entra Marta Temido

Era a seguir a Azeredo Lopes (e talvez em igualdade com Tiago Brandão Rodrigues), o ministro debaixo de mais críticas no executivo. Sai para dar entrada a Marta Temido, ligada à administração hospitalar, foi presidente não executiva do Hospital da Cruz Vermelha, e também à academia, através da Universidade Nova de Lisboa.

Adalberto Campos Fernandes, que entrou no governo em Novembro de 2015, sai debaixo de críticas relacionadas com o sub-financiamento da saúde, de onde se destacam os casos da demissão das chefias do Hospital de Gaia e da falta de obras na ala pediátrica do Hospital de São João.

  • Sai Castro Mendes, entra Graça Fonseca

Esta foi uma remodelação surpresa e resolvida internamente. Luis Filipe Castro Mendes substituiu João Soares depois do caso das bofetadas e sai agora para dar lugar à terceira titular do cargo nesta legislatura. Graça Fonseca não tem um percurso ligado à cultura, mas é uma das pessoas de confiança de António Costa.

Doutorada em Sociologia pelo ISCTE, esteve ligada ao programa Simplex, sendo neste executivo Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa. Graça Fonseca foi chefe de gabinete de Costa no executivo de Sócrates e a seguir acompanhou o atual Primeiro-Ministro como vereadora na Câmara de Lisboa.

  • Sai Caldeira Cabral, entra Pedro Siza Vieira

O Ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira vai substituir na pasta da economia o ministro mais remodelável de António Costa: Manuel Caldeira Cabral. Apesar de estar com Costa desde a tomada de posse do executivo, Caldeira Cabral sempre passou ao lado deste governo, tendo sido em primeiro lugar acusado de estar na sombra do seu Secretário de Estado, João Vasconcelos, que saiu no caso Galp e mais tarde de estar a ser esvaziado por Pedro Siza Vieira.

Pedro Siza Vieira vai agora manter-se como Ministro Adjunto ao qual junta a pasta da economia, não podendo no entanto ficar com áreas do setor energético, o que leva Matos Fernandes a acumular o ambiente com a pasta da transição energética.

A tomada de posse está agendada para esta Segunda-feira, 15 de outubro, pelas 12h. Com a remodelação dos ministros, algumas secretarias de estado vão também ter mexidas.

Descomplicador:

António Costa aproveitou a saída de Azeredo Lopes para remodelar também as pastas da cultura, da saúde e da economia, com ligeiras mexidas também na pasta do ambiente. A tomada de posse decorre já esta Segunda-feira.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *