Catalunha volta a ter delegação em Lisboa

A reabertura da delegação para a promoção externa da Catalunha em Lisboa foi aprovada, esta terça-feira, pela Generalitat, o governo catalão. Zagreb, Estocolmo, Viena, Riga e Beirute integram, juntamente com a capital portuguesa, a segunda fase de implementação dos escritórios.

Antes do referendo que indicou a opção dos catalães pela independência, o Governo da Catalunha já havia adotado políticas de atuação e promoção no exterior, com a abertura de sedes em diversos países, incluindo Portugal. Nessa ocasião, Raül Romeva, então conselheiro de Assuntos Exteriores, Relações Institucionais e Transparência da Catalunha, justificou a instalação da delegação da Generalitat em Lisboa. “Além de desenvolver as relações entre a Catalunha e Portugal, a nova estrutura vai também desenvolver as relações com a Comunidade de Países de Língua Portuguesa”, referiu em entrevista ao Diário de Notícias.

A recuperação da presença física em várias capitais teve início em junho deste ano, com o anúncio do Governo da Catalunha de que Bruxelas, Paris, Londres, Berlim, Genebra, Roma e Washington, seriam as primeiras cidades a receber os escritórios de representação externa após os encerramentos do ano passado. Em outubro de 2017, quando Espanha tornou as delegações inconstitucionais, seis espaços foram encerrados.

A Catalunha avança que o objetivo é expandir os números de 2017 e contar com a presença catalã em mais de 10 capitais. Ernest Maragall, que até a última terça-feira foi conselheiro de Assuntos Exteriores, Relações Institucionais e Transparência, acredita que o regresso das delegações será importante para a “representação, presença e influência” da Catalunha no mundo.

No entanto, a nova tentativa dos catalães de marcar presença em outros territórios por via de departamentos de promoção externa foi novamente criticada pelo Governo central espanhol que destaca, em comunicado, que o Ministério dos Assuntos Exteriores, União Europeia e Cooperação prevê um “principio de unidade de ação no exterior”. Madrid considera que as delegações catalãs têm como interesse “apoiar fins manifestamente contrários aos princípios e objetivos da política externa de Espanha”.

Descomplicador:

A Generalitat, o governo catalão, reabriu em Lisboa a representação para a promoção externa da Catalunha. Mais de 10 capitais contam novamente com esta representação catalã, que foi criticada pelo governo de Madrid.

Publicado por: Isabella Moura

Tem 23 anos e é natural do Brasil, mas desde os 11 anos que escolheu Portugal como casa. É mestre em Jornalismo e tem interesse na aplicação das novas tecnologias na construção da realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *