Carlos Moedas admite regresso a Portugal

O Comissário Europeu, Carlos Moedas, admite voltar a Portugal no final do mandato que integra agora na Comissão Europeia, não tendo como prioridade continuar no “executivo” europeu. Jean Claude Juncker está de saída depois de cinco anos, completando 15 anos de liderança do Partido Popular Europeu.

“Não me vou candidatar ao Parlamento Europeu, penso que está provavelmente na altura de regressar a Portugal”, disse Carlos Moeda ao Politico, o site de atualidade politica internacional. Carlos Moedas, que antes de seguir para a Comissão Europeia foi Secretário de Estado de Passos Coelho, quer trabalhar na área das startups.

O social-democrata acrescenta que, “gostei muito da experiência de ser comissário, gosto muito do Parlamento, mas penso que gostaria de voltar dentro de cinco ou dez anos, não imediatamente depois de ser comissário”, esclarecendo assim o que quer fazer num futuro próximo.

Carlos Moedas pretende trabalhar no setor privado, numa área ligada ao apoio a startups. O comissário europeu, foi, antes de ser Secretário de Estado, funcionário da Goldman Sachs e do Deutsche Bank.

Descomplicador:

O comissário europeu, Carlos Moedas, admite regressar a Portugal no final da liderança de Juncker, pretendendo trabalhar no setor privado ligado ao apoio às startups. Ainda assim, Moedas não fecha a porta a um regresso aos palcos europeus.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *