Bloco Central quer aprovar nova Lei da Paridade antes das Europeias

O PSD e o PS estão empenhados em aprovar a Lei da Paridade a tempo do primeiro ato eleitoral de 2019, as eleições europeias. O CDS é contra a mudança em ano eleitoral e pode ser obrigado a mudar a lista já anunciada para Bruxelas.

Segundo avança o Observador, o PSD e o PS podem chegar a um consenso antes das eleições europeias. Citada pelo jornal online, Elza Pais (PS), diz que em menos de um mês deverá ser possível alcançar o consenso necessário.

Pelo lado do PSD, Carlos Peixoto não é tão optimista mas, ainda assim, acredita que será possível chegar a acordo a tempo do primeiro ato eleitoral de 2019.

Quem já se mostrou contra a alteração em ano eleitoral foi o CDS, primeiro pela líder, Assunção Cristas e mais tarde pelo presidente do Grupo Parlamentar, Nuno Magalhães. Para o CDS o problema pode ser maior, visto que, caso a Lei entre em vigor a tempo das europeias, Assunção Cristas terá que mexer na lista já anunciada a Bruxelas, onde Pedro Mota Soares terá que passar para 3º lugar.

O Bloco de Esquerda quer ir ainda mais longe, enquanto o Partido Comunista Português mantém a sua posição de principio, contra a imposição de quotas nas listas a apresentar.

Descomplicador:

PSD e PS podem chegar a acordo para fazer aprovar uma nova Lei da Paridade a tempo das eleições europeias de Maio de 2019, o primeiro ato eleitoral do próximo ano.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *