Depois das sucessivas greves, “enfermeiro” é a Palavra do Ano

Depois das sucessivas greves que afectaram o Serviço Nacional de Saúda, em particular no final do ano, a palavra “enfermeiro” foi escolhida como a Palavra do Ano, num concurso promovido pela Porto Editora.

Na 10ª edição do concurso Palavra do Ano, promovido pela Porto Editora, a palavra “enfermeiro” conquistou o topo do pódio, recolhendo 37,8 % dos votos. A uma curta distância ficou a candidata «professor», com 33,4%, enquanto «toupeira» obteve 10,6%. 

De uma lista que incluía palavras de grande relevância e atualidade, como «populismo», «extremismo» e «sexismo», a escolha dos portugueses poderá refletir uma preocupação acentuada quanto à situação que envolve a classe dos enfermeiros, algo que poderá ser extensível aos professores, atendendo à elevada votação que a respetiva palavra registou. 

Os dois primeiros classificados refletem aliás as duas maiores lutas sindicais que têm tido lugar em Portugal nos últimos meses, amplificando assim o espaço mediático conquistado pelas duas classes.

A palavra «enfermeiro» junta-se assim à lista das vencedoras da iniciativa Palavra do Ano, onde constam “esmiuçar” (2009), “vuvuzela” (2010), “austeridade” (2011), “entroikado” (2012), “bombeiro” (2013), “corrupção” (2014), “refugiado” (2015), “geringonça” (2016) e “incêndios” (2017).

Descomplicador:

A palavra “enfermeiro” foi eleita a Palavra do Ano, sucedendo à palavra “incêndio”. “Professor conquistou o 2º lugar do pódio, que fechou com a palavra “toupeira”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *