A “odisseia” IPDJ: “toupeiras” são o ingrediente mais recente

A “odisseia” do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ) não tem descanso. Hoje, o jornal Record avança que o Benfica contou também com uma “toupeira” no instituto que tutela o desporto e que lhe forneceu dados privilegiados sobre processos em curso. Nos últimos dias, várias têm sido as acusações entre o ex-presidente, Augusto Baganha, o atual, Vítor Pataco e o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo.

6 setembro: Vítor Pataco processa Augusto Baganha por difamação

Depois da entrevista de Augusto Baganha à SIC, o recém empossado presidente do IPDJ, Vítor Pataco, disse à Agência Lusa que vai avançar com um processo por difamação, devido às “diversas afirmações, insinuações e acusações” e que vai assim, “às vias judiciais adequadas para que o Dr. Augusto Baganha responda por esta conduta, com vista, designadamente, a justa e cabal reposição da verdade”.

Vítor Pataco, que foi vice-presidente de Augusto Baganha ao longo dos últimos anos, acrescenta ainda que, “por terem sido proferidas em estação televisiva, em horário nobre de audiência, o que manifestamente levaria, como levou, à sua posterior ampla divulgação por outros órgãos e meios de comunicação social”, constitui ainda uma justificação adicional para avançar com o processo judicial.

6 setembro: “Augusto Baganha sabia que ia ser destituído há mais de dois meses”

Nessa mesma tarde em que Vítor Pataco anunciou que vai processar Augusto Baganha, o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto falou sobre o processo de saída de Augusto Baganha, do IPDJ. “Eu tive a primeira conversa com o Dr. Augusto Baganha acerca das mudanças que iriam ocorrer no IPDJ no dia 19 de Junho. Há um documento que foi entregue ao Dr. Augusto Baganha, no dia 20 de agosto, documento que ele assinou aceitando e comprovando a sua entrega em que lhe é dito que havia a intenção de dissolução do conselho directivo. O Dr. Augusto Baganha já sabia desde junho, são mais de dois meses”, explicou João Paulo Rebelo.

João Paulo Rebelo abordou ainda a questão do regulamento de segurança do Sport Lisboa e Benfica, considerando esse tema ultrapassado e garantindo que o atual regulamento do Estádio da Luz está perfeitamente legal.

7 setembro: Ata do IPDJ confirma declarações de Augusto Baganha

No dia seguinte a mais uma troca de declarações, o Jornal Económico avançou que uma ata do Conselho Diretivo do IPDJ confirma a tese de Augusto Baganha de que o processo estava alocado a Vítor Pataco e que Augusto Baganha teve que chamar a si o dossier. O Secretário de Estado tinha negado que Vítor Pataco tivesse retido o processo, tendo em conta que tinha acabado de chegar ao instituto.

Ainda assim, por via da delegação de competências o processo estava mesmo nas mãos de Vítor Pataco, levando Augusto Baganha a acusar o agora presidente de ter retido o dossier durante nove meses.

7 setembro: PSD pede audição de Augusto Baganha no Parlamento

Com toda esta troca de acusações, o Partido Social Democrata anunciou nesta Sexta-feira a intenção de chamar Augusto Baganha à Comissão Parlamentar de Cultura, Comunicação e Juventude, que tutela o desporto, por forma a discutir o seu afastamento da liderança do IPDJ. “É da maior relevância ouvir, em comissão, e logo após o início da próxima sessão legislativa, o presidente cessante do IPJD”, diz o grupo parlamentar dos sociais-democratas.

O requerimento acrescenta ainda que, esta audição, “resulta das suas afirmações a existência de motivações partidárias para a cessão do respetivo mandato, a presença de pressões por parte do senhor Secretário de Estado da Juventude e do Desporto na atuação do presidente do IPDJ, a ingerência de organizações desportivas nos processos de decisão deste instituto, bem como o eventual favorecimento de organizações desportivas, no âmbito de diversos processos, incluindo contraordenacionais”.

A chamada de Augusto Baganha à Assembleia da República será votada esta Quarta-feira, 12 de setembro, pelas 15h.

7 setembro: Secretário de Estado reafirma confiança em Vítor Pataco

Ao final do dia de Sexta-feira, João Paulo Rebelo reagiu ao comunicado difundido pelo Futebol Clube do Porto, que pedia a demissão de Vítor Pataco, reafirmando a confiança no recém-empossado presidente do IPDJ. “Reitero absolutamente o que disse. Vem na sequência de uma intervenção que fiz num programa televisivo. É absolutamente factual o que disse. Posso reiterar que o que espero é que entremos na tranquilidade que o IPDJ merece, com a maior brevidade possível, que o país, o desporto e a juventude merecem. O IPDJ tem um papel muito importante. O que se deseja é tranquilidade”, disse João Paulo Rebelo, à margem da apresentação de um livro de Aurora Cunha, atleta do FCP.

O Secretário de Estado com a tutela do instituto acrescentou ainda que, “é inaceitável que se lancem suspeitas sobre coisas que nada têm a ver com o desporto. Não passa pela cabeça de ninguém que alguém possa beneficiar ou prejudicar este ou aquele clube. Todo o seu Conselho Diretivo [do IPDJ] atual está para o cumprimento escrito da lei”.

12 setembro: “Toupeira” terá acedido a documentos sobre o Benfica no IPDJ

Depois de alguns dias de “tréguas”, o jornal Recorde escreve esta Quarta-feira de que terá existido também uma “toupeira” no IPDJ, que terá acedido a documentos relacionados com o processo das claques do Benfica. O caso foi arquivado em Janeiro de 2018, por não ter sido possível chegar à identificação da tal “toupeira”, mas a investigação conduzida pela Policia Judiciária conclui que existiu acesso indevido a um computador.

Neste caso em especifico, o computador cuja privacidade foi violada foi o da vogal do Conselho Diretivo, Lídia Praça, que foi também exonerada pelo Secretário de Estado. O acesso aos documentos relacionados com o Benfica terá sido por via presencial, segundo a PJ.

O atual Conselho Diretivo do IPDJ é constituído por Vìtor Pataco e Carlos Pereira, que permaneceram do anterior, tendo entrado ainda Sílvia Vermelho e Sónia Paixão.

Descomplicador:

Depois de uns dias de tréguas, o jornal Record avança que uma “toupeira” no IPDJ acedeu a documentos relacionados com o processo das claques do Benfica. A sucessão de Augusto Baganha continua a gerar polémica e o ex-presidente pode mesmo vir a ser ouvido na Assembleia da República.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *